Welcome to cicom2009.org
Bem-vindo ao sítio de Comunicação, Cognição e Media – Congresso Internacional de Ciências da Comunicação. O Congresso realiza-se na Faculdade de Filosofia do Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa, nos dias 23, 24 e 25 de Setembro de 2009. O Congresso pretende promover o estudo interdisciplinar das bases biológicas, cognitivas, emotivas e sócio-culturais dos diversos media e do seu impacto nos indivíduos, nas sociedades e nas culturas.
Apresentação: Situados nos domínios das ciências sociais e ciências humanas, os estudos da comunicação e dos media constituem necessariamente e cada vez mais um campo de investigação interdisciplinar. O enorme impacto que os media tradicionais e os novos media tecnológicos hoje têm nos indivíduos, nas sociedades e nas culturas, de que a globalização e as novas formas de comunicação interpessoal instantânea são exemplos, justifica que se investiguem sistematicamente as relações entre media, cognição e cultura. Neste contexto, os recentes avanços das ciências cognitivas sobre a compreensão da cognição humana abrem novas perspectivas e lançam estimulantes desafios às ciências da comunicação, em geral, e aos estudos dos media, em particular.
Nas últimas décadas, as ciências cognitivas têm desenvolvido modelos que nos permitem compreender aspectos essenciais da cognição, da linguagem e da comunicação. Por exemplo, a partir da psicologia cognitiva e da linguística cognitiva sabemos que construímos as nossas categorias não em termos de condições necessárias e suficientes, mas com base em protótipos. Daí resultam estruturas radiais tipicamente polissémicas fundamentadas na experiência humana. Sabemos das neurociências que o cérebro não processa a informação visual de modo descorporizado, mas mantém a topologia perceptiva das imagens e reconstrói padrões de imagens. Estes esquemas de imagens proporcionam coerência às categorias radiais e motivam projecções metafóricas de domínios mais concretos em domínios mais abstractos. Sabemos que podemos conceptualizar determinada situação de modos alternativos e que o fazemos através de operações conceptuais como a perspectiva, a atenção focal, a proeminência, a abstracção ou a divisão assimétrica Figura/Fundo, bem conhecida da psicologia gestaltista. Sabemos que a comunicação não consiste apenas numa troca de informação acerca do mundo, mas é um meio de cognitivamente coordenar as diferentes perspectivas dos sujeitos de conceptualização (locutor e interlocutor) e, assim, tomar em consideração, regular, influenciar outras mentes. Mais recentemente, há evidências de que a cognição humana não se reduz a operações neurais meramente individuais, mas é igualmente determinada pela interacção social e pela cultura, pelo que deve ser entendida como cognição situada, sinérgica ou social.
O presente congresso pretende justamente promover o estudo interdisciplinar das bases biológicas, cognitivas, emotivas e sócio-culturais dos diversos media, tanto dos tradicionais como dos novos, e do seu impacto nas culturas, nas sociedades e nos indivíduos. Integra tanto a perspectiva da interpretação ou análise crítica das representações e dos discursos dos media, como as perspectivas da sua produção, percepção e avaliação. São de especial interesse os seguintes tópicos focalizados nos discursos e nas representações dos media: modelos cognitivos e culturais de identidades sociais e culturais e em debates sociais, políticos, económicos e científicos; modelos cognitivos e culturais como ideologias; estruturas, sistemas cognitivos e retórica em discursos unimodais e multimodais; protótipos e estereótipos na categorização de diversos conceitos; metáfora conceptual, tanto na sua manifestação verbal como na sua manifestação não-verbal e multimodal; o potencial conceptual da metáfora e da metonímia; espaços mentais e integração conceptual; percepção gestaltista; percepção, compreensão, estrutura e significação de imagens; padrões de interacção entre imagem e texto verbal; a interpretação do texto multimodal; esquemas de imagens pré-conceptuais e imagética mental; atribuição de atenção; perspectiva e intersubjectividade; métodos e técnicas de interpretação e produção dos discursos dos media; a interacção entre aspectos corporizados e aspectos sócio-culturais da cognição e da comunicação.
O congresso dirige-se a académicos e investigadores de diferentes disciplinas, em particular ciências da comunicação, linguística, semiótica, psicologia, sociologia, estudos culturais, neurociências, mas todos interessados nos estudos dos media. Académicos das ciências da comunicação ainda não familiarizados com princípios e instrumentos analíticos da linguística cognitiva, da semiótica cognitiva ou de outras ciências cognitivas são convidados a conhecer mais acerca deles. E este segundo grupo de académicos é convidado a estender e aplicar as suas áreas de investigação à análise dos media. O evento científico anunciado constituirá o primeiro congresso internacional de ciências da comunicação promovido pelo recente núcleo de ciências da comunicação do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Faculdade de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa.